The Witcher foi lançado no dia 20 de dezembro pela Netflix, com, infelizmente, apenas oito episódios na primeira temporada. Estrelando Henry Cavill, ex-superman, como Geralt of Rivia (Geraldão para os íntimos), protagonista da série. Na opinião de alguém que jogou The Witcher 3 e se apaixonou pelo jogo, histórias e personagens é que está sensacional.

A série ilustra a história de Geralt of Rivia, um humano que sofre mutações forçadas e vira um bruxo especializado em matar monstros, em troca de algumas moedas, claro. Nesta caminhada ainda há outros encontros, num reino repleto de seres mágicos, magos, bruxas, elfos e outros seres que podem ser perigosos, ou não.

Vale ressaltar que os jogos não serviram de base para a história da série, a inspiração veio dos livros do polonês Andrzej Sapkowski. Entretanto nota-se que os jogos ajudaram e MUITO para o visual da série, tanto para a caracterização dos personagens quanto para os cenários.

E o que da para dizer é que está foda! Henry Cavill ficou muito, muito foda no papel de Geralt, exatamente como nos games. As outras personagens principais, como Yennefer e a princesa Ciri, por exemplo, acompanham a pegada dos jogos e estão ótimas. Único ponto que eu não gostei, foi a ausência do “olho de gato”, na série ele apenas ficou um olho com “cor diferente”. A primeira temporada mostrou muito pouco do universo e acho que não há possibilidades de manterem as demais com apenas oito episódios. Tem muita coisa por vir e muito personagem para aparecer. Fica aqui minha humilde recomendação para assistirem a série, ela está divertida e com boas cenas de combates, por ser curta vale um final de semana com pipoca e refrigerante.