O anime de Cowboy Bebop é como um Jam entre amigos. Amigos muito talentosos. Um anime que começa despretensioso e se torna algo gigante, profundo. Caótico. Bonito.

A série da Netflix traz elementos do anime, com uma beleza organizada demais. É pouco para quem espera o muito do anime. Raso. É como se tivessem gravado uma sessão de música muito boa, mas com uma reprodução acelerada e um áudio exageradamente estourado. Tipo quando a gente tenta pentear o cabelo para parecer desarrumado, sabe?

A Netflix conseguiu formar um trio MUITO carismático com John Cho, Mustafa Shakir e Daniella Pineda.  

O visual da série é bonito e a trilha é excelente. Às vezes a estética se perde no exagero, mas em pontos em que já estamos envolvidos o suficiente para comprar a proposta.

A série erra onde o anime acerta. Na animação dos anos 90, cada personagem principal é apresentado no seu ritmo. Como numa sessão de jazz, cada elemento busca seu destaque na hora que tem que buscar. Já na série, muitas vezes os personagens são introduzidos antes da hora, de forma acelerada.

Claro que a série tem menos episódios para contar a história, mas ela se aprofunda em detalhes que poderiam ter menos destaque para abrir espaço para a construção dos personagens principais.

Várias coisas são contadas de forma diferente na série, de uma forma que acho positiva. Bom para que nunca assistiu o anime e para quem vai ter um primeiro contato.

Mas vale assistir? Vale. Sempre vale

Cowboy Bebop da Netflix poderia ser mais interessante se focasse nos piratas e suas aventuras. Ao menos um pouco mais. O plot do vilão é chato e demorado, o que acaba desperdiçando o tempo que poderia ser focado em alguma aventura menor, com Spike e o Jet Black, por exemplo.

Se poderia melhorar com o tempo, nunca saberemos. A série foi cancelada poucas semanas após o seu lançamento. Os fãs do anime reclamaram bastante (de forma bem exagerada em alguns momentos) e a Netflix preferiu não bancar.

Enfim, segue o baile. Ao menos isso tudo serviu para o anime ganhar mais destaque.

Já seguiu o Guia Etuíno de Entretenimento no Instagram? Então é só clicar aqui ou procurar @guia_etuino! Com isso você tem um contato ainda mais próximo com quem escreve por aqui.