Game of Thrones foi um sucesso gigantesco que talvez nunca mais se repita. É triste dizer isso, mas é provável que tenha sido a última série “evento” a fazer sucesso num mundo onde as produções enlatadas e “maratonáveis” estão cada vez mais comuns. Os episódios semanais, os grandes investimentos e a expectativa GIGANTESCA que cada acontecimento geravam eram os grandes motivadores dos bares lotados e fóruns de discussão que tanto fizeram sucesso na época. Como voltar para isso se a maioria das grandes séries atuais é lançada completa para você ver tudo num fim de semana só? 

Já notaram como o hype das grandes séries da Netflix é meteórico? Quando surge algo novo, todo mundo fica envolvido. Round 6 é o grande exemplo do mundo. Depois de seu lançamento, TODO MUNDO tava falando sobre. Público geral, marcas, influenciadores… Em todos os lugares só se fala disso. Mas aí passam alguns dias e isso some. A sensação é de que todo mundo já assistiu e agora não faz mais sentido falar sobre, né? De certa forma é isso mesmo. 

Game of Thrones foi uma das últimas filhas da expectativa. Séries que tinham a espera dos episódios como uma forma de gerar debate, gerar vontade. A gente via um acontecimento bombástico e ficava louco para saber o que ia acontecer depois. Aí nisso surgiam sites falando sobre, podcasts, fóruns. A gente ficava com tanta vontade de falar sobre, que surgiam comunidades. A expectativa era tanta que os episódios eram eventos. Eventos dignos de bares lotados. Vários estranhos juntos, unidos por uma única coisa: Expectativa pelo próximo episódio de Game of Thrones. O objetivo em comum unia as pessoas. 

O modelo de lançamento é o culpado? Não necessariamente

As séries da Marvel no Disney+ foram mais uma prova do sucesso desse formato. Semanais, geraram tanta expectativa que as pessoas começaram imaginar suas próprias versões e logo estavam enxergando “dicas” escondidas por todo lugar. Isso que elas foram séries curtas. O sucesso de GoT não vem só disso. O grande investimento resultou em efeitos mais bonitos, cenários mais convincentes, tudo isso aliado à uma trama que (até certo ponto) tava bem legal de acompanhar.

Sim, o final de Game of Thrones foi bem bosta. Mas foi uma bosta vista em bares e casas lotadas, com todo mundo querendo assistir nem que seja para xingar. Como a gente faz isso se a série sai inteira ao mesmo tempo e todo mundo “maratona” ela em dois dias? Não dá tempo de comentar, nem de parar pra imaginar o que vai acontecer depois. 

O objetivo aqui não é criticar o modelo de lançamento de séries, que fique bem claro. Mas que séries como Game of Thrones fazem falta, isso é inegável. 

Já seguiu o Guia Etuíno de Entretenimento no Instagram? Então é só clicar aqui ou procurar @guia_etuino! Com isso você tem um contato ainda mais próximo com quem escreve por aqui.