Hell No! conta a história do meio demônio Lúcio e sua vida frequentando a escola no inferno. Filho do Diabo com uma humana, o garoto passa alguns fins de semana na casa do pai e encontra o inferno na convivência com seus irmãos demônios, Bel e Satã.

“Hell No! Meu Pai é o diabo” é a primeira parte do quadrinho de Leo Finocchi. O quarto e último capítulo foi um sucesso num financiamento coletivo recentemente e logo poderemos ler o final história do “meio-gente” Lúcio. A primeira parte foi lançada em 2017, com 32 páginas.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Em “Hell No! Meu Pai é o Diabo”, conhecemos a rotina de Lúcio de uma forma bem leve e divertida, com várias piadas com os conceitos básicos que conhecemos do inferno. Por exemplo, o inferno é um lugar ok e até o próprio diabo parece um cara legal, enquanto o verdadeiro inferno está na relação do protagonista com os irmãos, por uma simples implicância dos mais velhos.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Os personagens são minha parte preferida de Hell No! Lúcio é um jovem comum (apesar dos chifres), enquanto seus irmãos são aqueles estereótipos básicos de personagens populares e filhos de pais ricos: o babaca fortão e a gatinha viciada em celular. E isso é bem legal. O núcleo escolar da história é bem interessante e o secretário do diabo acabe sendo importante, mas depois dos três principais o meu favorito é definitivamente o Bafinho, o demônio nerd fã de Jesus Cristo.

As edições são curtas, com uma narrativa bem leve. Os desenhos são bem cartunescos com bastante personalidade, e os cenários são bem bonitos, com vários detalhes espalhados pelas páginas. As primeiras edições de Hell No! podem ser lidas de forma virtual aqui nesse link, enquanto as versões físicas podem ser adquiridas com a Balão Editorial.