A música une e espalha sentimentos com uma força quase espiritual. Uma boa mensagem envolve as pessoas e cria movimentos, ações, revoluções. Prisma Negro me fez pensar nisso. O quadrinho nacional independente de Andy Corsant conta a história do laço criado entre três adolescentes por conta de músicas misteriosas passadas para eles. A história apresenta pessoas problemáticas e como a música pode ajudar a encontrar saídas em momentos difíceis.

Lina, Olavo e Cícero são três adolescentes passando por problemas complicados. Logo, o destino dos três se cruza quando um estranho transfere três arquivos de MP3 para eles, com músicas misteriosas que acabam induzindo um encontro entre o grupo. Simultaneamente ainda tem um eclipse prestes a acontecer para deixar as coisas ainda mais mágicas e obscuras.

O quadrinho nos faz pensar sobre como uma mesma música pode falar coisas diferentes para diferentes pessoas. Quando a música fala, a gente ouve o que precisa ouvir. E é isso que acontece com os jovens, que, ao procurar respostas pela cidade, acabam se encontrando um pouco dentro deles mesmos. Dessa forma, Prisma Negro traz referências a diversos clássicos da música e aborda alguns assuntos bem presentes na vida de um jovem.

Prisma Negro é um quadrinho otimista. Ele mostra uma das tantas formas de “consciência coletiva” que uma música ou movimento pode criar. Seja para bem e para o mau. A leitura é rápida e bem interessante. Portanto, vale muito acompanhar o trabalho do @andycorsant

Já segue o Instagram do Guia Etuíno de Entretenimento? Lá você pode acompanhar nosso trabalha ainda mais de perto. Ou seja, pode comentar, opinar e nos conhecer com ainda mais facilidade! Clique aqui para seguir.