A Disney apresentou uma nova versão do trailer de She-Hulk, dessa vez melhorada. As imagens mostram um pouco mais de definição na nova super-heroína do MCU. Ainda assim, os fãs continuam com um pé atrás.

She-Hulk, a nova série da Marvel no Disney+, teve seu primeiro trailer divulgado semana passada e muita gente apontou problemas no CGI da Mulher-Hulk transformada. O povo chamou a Mulher-Hulk de Magalu, Fiona do Shrek e até compararam o trailer com o gráfico de jogos do PlayStation 3. Essa reclamação é justa?

Sim, mas em partes. Realmente a aparência do primeiro trailer ficou bem esquisita. Tico e Teco: Os Defensores da Lei, da própria Disney, apresentou um bairro onde animações ultrapassadas se escondiam por serem consideradas feias e ultrapassadas. Literalmente a materialização do conceito do Vale da Estranheza. Existe uma chance da She-Hulk do primeiro trailer estar lá um dia.

A Marvel faz CGI tosco há anos, mas nunca numa personagem que mostra esses defeitos por tanto tempo. O Homem-Aranha vira um bonecão de play 2 várias vezes no último filme, mas como é rápido nem incomoda. Agora olhar pra esse CGI estranho durante um episódio inteiro, sei lá.

Eu digo que a reclamação é justa em partes, porque precisamos analisar o contexto geral da produção. Apesar do altíssimo orçamento da série, um programa mais extenso acaba tendo seu investimento dissolvido em mais cenas, talvez produzidas num prazo ainda menor. Os profissionais envolvidos acabam “fazendo o que dá” dentro do tempo estipulado. Isso sem contar nas intervenções de acionistas e tal. Inclusive rolou um papo de que a Mulher-Hulk foi “diminuída” no meio da produção, pois ela estava muito musculosa.

Onde fica a Disney nisso?

Sim, a Disney tem dinheiro suficiente para fazer melhor. Não estou defendendo o estúdio, mas sim os profissionais que podem acabar pagando por um prazo apressado e um investimento menos robusto do que se esperava.

As imagens melhoradas apresentadas pela Disney arrumam o trailer? Não, definitivamente não. E acredito que nem dê tempo de corrigir alguma coisa nesse momento. A questão é o quanto isso importa. É triste que a discussão seja essa, visto que o trailer tem uma vibe MUITO legal. Mas a culpa não é dos fãs não, isso poderia ser evitado!

A Mulher-Hulk é uma personagem excelente e merece muito uma série para lhe apresentar de vez aos grande público. O que nos resta agora é esperar que a pós-produção tenha feito um bom trabalho e que isso não afete a visão do público sobre coisas que realmente importam, como roteiro e trama.

She-Hulk: Attorney at Law estreia dia 17 de agosto, no Disney+. Vocês acham que efeitos ruins podem estragar uma série?

Quer mais dicas de quadrinhos? Pois siga o Guia Etuíno de Entretenimento no Instagram! Então só clicar aqui ou procurar @guia_etuino na busca! Com isso você tem um contato ainda mais próximo com quem escreve por aqui