Superman: Alienígena Americano é um quadrinho de Max Landis que mostra sete diferentes partes da criação do que conhecemos do Superman, ou Super-Homem, hoje, desde seus primeiros contatos com os poderes na infância. Esse é um dos meus quadrinhos preferidos do Homem de Aço por vários motivos. Um deles é essa capa linda, inclusive.

O encadernado reúne as sete edições de Alienígena Americano e cada uma possui a arte de um artista diferente. No quadrinho vemos o trabalho de Nick Dragotta, Tommy Lee Edwards, Joelle Jones, Jae Lee, Francis Manapul e Jonathan Case Jock, com cores de Alex Guimarães, Rico Renzi, June Chung, Lee Loughridge. E cada dos estilos combina muito bem com as fases do crescimento de Clark Kent.

Aliás, é importante falar que o personagem principal dessa história é o jovem Clark Kent, não necessariamente do Superman. Até porque o herói que conhecemos ainda está nascendo entre o tanto de dúvidas e dilemas apresentados no encadernado. Ou seja, foco na parte “humana” do alien.

O Superman

Superman é o meu super-herói preferido, mas é bem difícil explicar o porquê para as pessoas que insistem em vê-lo como o escoteiro sem graça muita vezes pintado. Porém, Alienígena Americano é um argumento ótimo para defender o azulão.

Os dilemas do jovem e incompreendido ET que tenta viver a vida de um adolescente terráqueo são abordados de forma excelente. Desde a culpa por ser um filho estranho para os pais até pelo medo de um dia machucar um amigo. Sem falar na solidão de ser o único diferente num mundo onde ele é visto como bizarro.

Enfim, Superman, Alienígena Americano é uma ótima porta de entrada para possíveis leitores do Super-Homem. Uma aula sobre a irônica humanidade e solidão do alienígena mais forte já ilustrado pela DC.

Já seguiu o Guia Etuíno de Entretenimento no Instagram? Então é só clicar aqui ou procurar @guia_etuino por lá! Com isso você tem contato ainda mais próximo com quem escreve por aqui. Então corre lá!