Teatro do Pavor é um quadrinho que reúne 13 histórias de terror baseadas em contos folclóricos e tradicionais de diversos cantos do Brasil. As lendas e personagens são revisitados com um contexto mais atual, algumas vezes misturando traços da cultura moderna com elementos de histórias que são contadas há muitos anos pelo país. Cada história tem seu traço e sua forma de narrativa, o que deixa a obra ainda mais rica em estilos e pontos de vista.


Unhudo, da lenda apresentada por Camilo Solano

As histórias são fechadas e curtas, algumas com menos de cinco páginas de duração, mas isso não tira nenhum mérito das referências aos contos revisitados. As referências são construídas de formas bem peculiares e por vezes a “entidade” apresentada nem precisa aparecer para sabermos do que a história está falando.

A mudança de estilo entre uma história é um fator muito interessante do quadrinho, principalmente para contos de suspense e terror. Cada uma tem seu próprio tipo de narrativa e isso quebra completamente a expectativa criada pela última história, mesmo que todas sejam bem curtas. A quantidade de estilos de artistas não se dá apenas pela técnica de cada, mas também pela variedade de perspectivas reunidas. São pessoas de diversos estados diferentes, com bastante espaço para autoras mulheres, que tem um destaque bem legal entre as histórias apresentadas.

Teatro do Pavor é um quadrinho da Skript Editora e traz histórias de 15 artistas com estilos completamente diferentes: Camilo Solano, Ale Presser, Manu Cunhas, Marcel Bartholo, Alice Monstrinho, Amaury Filho, Kaol Porfirio, Igum Djorge, Roberth Santos, Renata Aguiar, Thamy Adriana, Aldo Solano, Rapha Pinheiro, Douglas Freitas e Diego Moreau, com participação de Gustavo Borges, autor de “Cebolinha: Recuperação”, da Graphic MSP.