Venom 2 finalmente estreou e nós tivemos a oportunidade de assistir nos cinemas para ver a grande estreia do Carnificina de Woody Harrelson. O filme segue o mesmo padrão do primeiro Venom, com uma história direta e rasa, pouquíssima luz e MUITO barulho. Venom 2 é tão apressado que a gente nem tempo de entender muito bem o que tá rolando! 

Venom: Tempo de Carnificina carrega uma característica bem forte apresentada no primeiro filme: A sujeira. Antes mesmo do filme acabar a gente já tá louco para ir para casa tomar um banho, lavar uma roupa ou limpar o quarto. Mas isso não é necessariamente algo ruim, tanto que uma hora o Venom “vai embora” e os ambientes são apresentados de forma menos desconfortavelmente suja. A violência foi diminuída para que o filme pudesse ter uma classificação indicativa mais acessível para os jovens? Sim! Mas poxa, tem cena na cozinha que é mais pesada que qualquer briga com cabeça sendo esmagada ou palavrão!   

O ritmo do filme é frenético, de um forma meio prejudicial ao andamento do filme. É tudo tão imediato que algumas coisas perdem o contexto e a gente se perde na motivação dos acontecimentos. A rixa entre os simbiontes é tão rasa, que me pergunto se não poderia ter sido resolvida com o Venom perguntando ao Carnificina o motivo de eles estarem brigando. 

Tá, mas é bom?

Tem muita coisa ruim no filme. Sinceramente, o filme é ruim, mas tem coisas boas. O Tom Hardy como Eddie Brock é muito bom e o bromance dele com o Venom é bem divertido de assistir. A questão da relação entre Eddie e o simbionte é tão mais legal que o resto do filme, que chega um momento que ela se torna bem mais importante que o plot do Carnificina, o grande vilão do filme. 

Venom agora é um mocinho? De certa forma sim. E na boa, não importa muito. Num filme que apresenta um simbionte que tem como principais objetivos comer e viver, é bem plausível que ele se torne um anti-herói em algum momento. Se é fiel aos quadrinhos ou não, infelizmente eu sou amargurado demais para me importar. 

Até porque as histórias do Venom nunca foram realmente boas nos quadrinhos, só era legal porque era tudo muito maneiro/anos 90/radical. Aliás, é exatamente em cima desses pontos que o filme se apoia. 

Então o filme é bom? Definitivamente não. Mas eu não posso dizer que não me diverti com várias coisas apresentadas.

Já seguiu o Guia Etuíno de Entretenimento no Instagram? Então é só clicar aqui ou procurar @guia_etuino! Com isso você tem um contato ainda mais próximo com quem escreve por aqui.